top of page

NOTÍCIAS

  • Por Eduardo Freire - Médico Veterinário e jornalista

Temperos: Quais deles o filhote pode comer?


Filhote comendo em pote de comida
Temperos: Quais deles o filhote pode comer?

Se você busca uma dieta natural para seu cachorro filhote ou adulto, é importante saber quais temperos são seguros e quais devem ser evitados. Enquanto alguns condimentos podem trazer benefícios à saúde dos pets, outros podem ser extremamente prejudiciais e até mesmo tóxicos. Para esclarecer essas dúvidas e garantir a segurança alimentar dos cães, a EuQueroUmFilhote preparou uma matéria com informações essenciais sobre os condimentos que são liberados na dieta canina e aqueles que devem ser evitados a todo custo.


Embora existam temperos que os cachorros podem consumir sem problemas, é recomendável limitar seu uso na alimentação canina ou consultar um veterinário antes de adicionar qualquer condimento. O sal, a cebola e o alho são exemplos de temperos que devem ser evitados, pois podem causar complicações gastrointestinais e outros problemas de saúde nos cães.


Por outro lado, há temperos que podem trazer benefícios ao organismo dos pets quando utilizados em quantidades moderadas. Alguns exemplos são o manjericão, a salsinha, o orégano, o coentro, o tomilho, o açafrão, o alecrim, o azeite de oliva, o gengibre, a hortelã e a canela. Recomenda-se utilizar apenas uma pitada desses temperos em cada refeição, principalmente quando se trata de uma dieta natural para cães.


No entanto, é crucial lembrar que certos temperos devem ser evitados a todo custo. O alho e a cebola, assim como a cebolinha e o alho-poró, são extremamente tóxicos para os cães. Esses ingredientes contêm substâncias que podem causar danos aos glóbulos vermelhos e levar a quadros de anemia hemolítica nos cachorros. Além disso, comprometem a hemoglobina, prejudicando o transporte de nutrientes e oxigênio pelo organismo do animal.


Caso o seu cachorro acidentalmente consuma algum desses condimentos proibidos, é importante ficar atento aos sinais de intoxicação, como vômito, diarreia, aumento da frequência cardíaca, urina avermelhada e apatia. Se houver qualquer suspeita, é fundamental buscar assistência veterinária imediatamente.


Garantir uma alimentação segura e equilibrada é essencial para a saúde e bem-estar dos nossos amigos de quatro patas. Ao preparar refeições caseiras para ele, consulte sempre um profissional de confiança para obter orientações personalizadas e garantir que a dieta do seu pet esteja adequada às suas necessidades individuais.

Comentários


Notícias recentes
Arquivo
bottom of page